França luta contra favoritismo inevitável em final da Copa contra Croácia

Difícil lembrar de uma final de Copa do Mundo em que uma seleção chegou com tanto favoritismo em relação à outra. Os franceses podem até lutar contra isso, mas tudo que envolve a partida de domingo, contra a Croácia, aponta para os Le Bleus como mais próximos de conquistar o título mundial. Seja a comparação individual entre os jogadores, seja a parte física, seja a tradição, tudo conspira a favor da França. Ela sabe disso, mas tenta tirar um pouco desse peso sobre os ombros.

Nesta quinta-feira, Umtiti e Pogba atenderam a imprensa nos arredores de Moscou. Ainda embalados pela vitória sobre a Bélgica, escaldados depois da virada da Croácia sobre a Inglaterra, procuraram exaltar os adversários da grande final. Para Pogba, o grande mérito dos croatas ficou provado na competição: com duas classificações nos pênaltis e uma na prorrogação, já foram mais testados psicologicamente do que qualquer outra seleção na Rússia, revela o Extra.

— Não pensamos em favoritismo. A Croácia tem um time muito forte mentalmente, já provou isso durante a Copa do Mundo. Eles são muito determinados e não acreditamos que somos favoritos. Faremos de tudo para sermos campeões, mas eles também querem muito esse título — ressaltou.

Umtiti, herói da semifinal, também não quer ouvir de favoritismo. Segundo ele, a França precisa respeitar o adversário e se concentrar no que precisa fazer em campo para ficar com a Taça pela segunda vez. O jogador do Barcelona ainda destacou um duelo particular que vai acontecer na partida: Modric contra Pogba, dois dos meias mais respeitados do futebol mundial.

— São jogadores bem diferentes, que tem estilos diferentes, acredito. Modric é mais ofensivo, mas são dois jogadores incríveis, talvez os dois melhores do mundo nas suas posições.

12/07/2018