Flamengo já admite perder Paquetá e procura substitutos para o começo de 2019

O Flamengo não quer repetir a estratégia usada para repor a perda de Vinícius Junior caso a venda de Lucas Paquetá se concretize em 2018. Atual vice de futebol, Ricardo Lomba deixou claro, em reunião com sócios para promover sua candidatura, que o clube tem mapeado opções no mercado e acredita que a negociação para a Europa aconteça até o fim do ano.

O dirigente foi questionado por um sócio exatamente sobre a postura da diretoria na reposição de Vinicius Júnior. O Flamengo tem mapeado o risco de perder Paquetá e age para evitar danos. Desta forma, lista opções no mercado sul-americano e nacional de meias ofensivos, revela o Extra.

— Se vier a negociação, e eu, particularmente, acredito que venha, com o dinheiro que entrar da transação do Paquetá, com o jogador só saindo em dezembro, no fim do ano, a gente tem condições de trazer jogador para se apresentar no início do ano, em janeiro — explicou Ricardo Lomba, reforçando que no começo da temporada o aporte de recursos costuma ser baixo.

— Nessa situação agora teremos dinheiro. E temos alguns alvos para vir a substituir Paquetá — completou.

O Flamengo não recebeu nenhuma proposta concreta, mas clubes da Europa analisam o jovem brasileiro desde o começo do ano. Com a convocação para a seleção brasileira, a observação se intensificou. Barcelona e PSG foram apontados pelos jornais espanhóis como possíveis destinos para o jovem, que tem 21 anos e multa de 50 milhões de euros. O Flamengo negocia para ampliar o valor com o objetivo de receber mais pela futura venda. A intenção é renovar o contrato do meia até 2022.

Paquetá e seus representantes trabalham na expectativa de uma oferta de um clube de ponta da Europa.

13/09/2018