Com recorde, Hamilton confirma favoritismo e é pole na Austrália. Räikkönen é segundo e Bottas bate forte

Sebastian Vettel e Max Verstappen bem que tentaram, mas a primeira pole-position da temporada 2018 ficou mesmo com Lewis Hamilton. Com um carro que se mostrou o melhor ao longo do fim de semana até agora, o piloto da Mercedes comprovou seu favoritismo em Albert Park e faturou a quinta pole consecuitiva no circuito, a sétima na Austrália, superando seu grande ídolo, Ayrton Senna, como o maior detentor de poles na história da prova. Com direito a novo recorde da pista, Lewis cravou 1min21s164 neste sábado (24) em Albert Park. A surpresa foi a presença de Kimi Räikkönen em segundo depois de ter superado Vettel no apagar das luzes do Q3.

Vettel teve de se contentar com a terceira posição do grid de largada após ficar apenas 0s010 atrás de Kimi. Verstappen foi o quarto colocado no grid, com a diferença de apenas 0s051 separando Räikkönen do piloto da Red Bull. Daniel Ricciardo obteve o quinto tempo, mas perdeu três posições no grid de largada por conta de uma punição imposta na sexta-feira. Assim, quem vai largar em quinto é Kevin Magnussen, da surpreendente Haas, que vai dividir a terceira fila com Romain Grosjean.

O destaque negativo foi a forte batida sofrida por Valtteri Bottas no começo do Q3, destruindo o carro da Mercedes. O finandês não marcou tempo na fase final da sessão. Fernando Alonso foi eliminado no Q2, mas deve largar em décimo em razão da inevitável troca de componentes de câmbio do carro de Bottas, revela o MSN.

Depois de toda a chuva que deu as caras na manhã e lavou a pista no início do terceiro treino, a classificação do GP da Austrália começou com pista seca, 24ºC de temperatura ambiente e 33ºC no asfalto. A previsão do tempo, segundo a FIA, era de 40% de chance de chuva para a sessão. No seco, o favoritismo era todo da Mercedes e, particularmente, de Lewis Hamilton, que tinha quatro poles consecutivas em Melbourne, de 2014 a 2017.

Nico Hülkenberg puxou a fila no Q1 ao deixar os boxes da Renault. A opção preferida dos pilotos logo de cara foi pelos pneus ultramacios. Hülk cravou 1min25s348 como o primeiro tempo da classificação. A marca do alemão logo foi batida por Sainz, que tomou a ponta com 1min24s655, enquanto Sebastian Vettel pegou tráfego em sua primeira volta rápida. Por outro lado, Kimi Räikkönen teve pista limpa e colocou a Ferrari na liderança provisória, com Seb recuperando-se e subindo para segundo.

Ainda no Q1, era a vez de Hamilton fazer sua primeira volta rápida. Com muito tráfego no último setor, o tetracampeão foi atrapalhado e não conseguiu superar Kimi. Tampouco Valtteri Bottas bateu a marca do compatriota. O veterano da Ferrari foi além e conseguiu melhorar sua volta para 1min23s096, trazendo os carros da Red Bull, de Ricciardo e Verstappen em segundo e terceiro, respectivamente. Em seguida, Hamilton tentou responder, mas ficou 0s167 atrás do tempo de Räikkönen mesmo tendo pista limpa à frente.

A McLaren aparecia como a melhor do segundo pelotão, com Fernando Alonso vindo em sétimo, logo à frente do compatriota Carlos Sainz, com Stoffel Vandoorne e Hülkenberg completando as duplas de McLaren e Renault, respectivamente, no top-3. Ao mesmo tempo, Vettel melhorava e subia para terceiro, desbancando o tempo de Verstappen. Hamilton também veio rápido e finalmente encaixou uma grande volta: 1min22s824, na sexta volta com o pneu ultramacio. 0s272 mais rápido que a marca de Räikkönen.

O Q1 se encaminhava para a definição quando Romain Grosjean fez grande volta e colocou a Haas em sexto, desbancando Bottas e Alonso. Seu companheiro de equipe, Kevin Magnussen, também andou bem e superou os carros de McLaren e Renault para avançar ao oitavo lugar. Mas vários pilotos melhoraram seus tempos nos segundos finais: Sainz subiu para sexto, logo à frente de Alonso. Grosjean ficou em oitavo e deixou Bottas em nono, enquanto Hülkenberg fechou a lista dos dez primeiros. Entre os eliminados, caíram Brendon Hartley, Marcus Ericsson, e os novatos Charles Leclerc, Sergey Sirotkin e Pierre Gasly. Toro Rosso, Williams e Sauber na rabeira.

Vettel crava novo recorde de Albert Park e brilha no Q2

Com pneus supermacios, Verstappen foi o primeiro a deixar os boxes no Q2. Räikkönen saiu logo em seguida, mas com os ultramacios, que acabou sendo a escolha da maioria, incluindo aí a dupla da Mercedes. Max anotou 1min22s830, marca que foi batida por Räikkönen por 0s323. Vettel formou o momentâneo 1-2, mas sempre andando atrás do ‘Homem de Gelo’. Aí veio Hamilton para quebrar o recorde da pista e marcar 1min22s051, novo recorde do circuito de Albert Park. Era, Lewis definitivamente, quem despontava como o grande favorito à pole.

Bottas vinha em quarto, mas claramente uma decepção por estar 0s6 atrás do companheiro de equipe, com as Red Bull de Verstappen e Ricciardo em quinto e sexto, respectivamente, e Fernando Alonso logo atrás. Durante o Q2, o tempo fechou rapidamente, mas não havia uma chance real de chuva durante a classificação.

Os pilotos ainda fizeram mais uma tentativa de volta rápida nos minutos finais. Bottas reagiu, fez a melhor parcial no terceiro setor e subiu para segundo, ficando a 0s038 do tempo de Hamilton. Mas foi Vettel quem brilhou no fim ao quebrar o recorde da pista com 1min21s944. Verstappen, de supermacios, ficou em quarto, à frente de Räikkönen e Sainz. Magnussen, Grosjean e Hülkenberg avançaram à fase final. E foram eliminados Alonso, Vandoorne, Sergio Pérez, Lance Stroll e Esteban Ocon.

Bottas bate forte no início do Q3. E Hamilton sobra com pole-position

Era chegada a hora da decisão da pole. E o grande favorito foi o primeiro a deixar os boxes, mas com Vettel prometendo uma grande briga com o rival. Mas quem protagonizou o começo do Q3 foi Valtteri Bottas, que causou o primeiro acidente de 2018 ao cometer um raro erro, perder o controle do carro e bater na saída da curva 2. O cronômetro ficou travado em 9min47s.

O Q3 foi retomado pouco depois. Aí foi a vez de Ricciardo ser o primeiro a deixar os boxes, seguido por Hamilton e Verstappen, com Vettel vindo mais atrás. Favorito, Hamilton tinha a pista limpa para fazer sua tentativa de volta rápida. O tetracampeão aferiu 1min22s051, tempo inferior ao de Vettel no Q2. O alemão passou em seguida, mas não conseguiu superar o rival: 0s034 atrás. Verstappen vinha em terceiro, com Räikkönen logo atrás e Ricciardo em quinto. Apenas 0s3 de diferença separando os pilotos do top-5.

Na saída para a última tentativa de voltas rápidas, Grosjean fez uma ultrapassagem sobre Sainz… no pit-lane, manobra que tem potencial para gerar punição ao franco-suíço.

Por fim, na hora da decisão, valeu o melhor carro e o melhor piloto da atualidade. Hamilton fez uma volta incrível e marcou 1min21s164, novo recorde de Albert Park. A disputa era pelo segundo lugar, que acabou ficando com Räikkönen, após bater Vettel por meros 0s010. Verstappen foi o quarto, à frente de Ricciardo e da excelente Haas de Magnussen, sexto na tabela de tempos e quinto no grid, e Romain Grosjean.

24/03/2018